Close
Entrevistas

Augment entrevista Fernando Castelão

Conversamos com Fernando Castelão, diretor de logística, Supply Chain e novos produtos da Acumuladores Moura.

 

Sabemos que quanto maior a organização, maiores os obstáculos para promoção da inovação internamente. As demandas do dia a dia tendem a gerar um trade off negativo entre a inovação e as tarefas cotidianas. No seu caso, “Novos Produtos” – área que tem a inovação como fim – é apenas uma das áreas sob sua liderança, dividindo seu tempo com Logística e Supply Chain. Como fazer para priorizar a inovação e desenvolve-la em cada um desses departamentos?

Resposta:

Acredito que os profissionais e as empresas devem buscar melhorar continuamente e estar sempre à frente das tendências do mercado. Para conseguir isso, a única alternativa é a Inovação, a qual está presente no meu dia-a-dia em tudo o que faço, penso, planejo e lidero, pois sempre reflito como posso fazer algo melhor e ter um resultado diferenciado. Sendo mais direto, acredito que algumas práticas viabilizam o processo de inovar:

  1. Nas atividades de rotina sempre registrar uma ideia ou oportunidade numa lista com responsáveis e prazos para que não sejam esquecidas e sempre reservar um tempo para sair do escritório e estar em contato direto com as operações e o mercado;
  2. Não se deixar consumir pelas atividades operacionais e planejar na agenda a participação em palestras, fóruns de discussão, eventos de networking, cursos, visitas de benchmarking a outras empresas/institutos/universidades, viagens nacionais e internacionais, leitura de jornais/revistas/sites, etc. Assim, estar sempre obtendo novas informações e sendo desafiado pelo novo;
  3. Realizar anualmente um planejamento estratégico bem fundamentado, com definição dos objetivos estratégicos e fazendo um diagnóstico das nossas fortalezas, fraquezas, oportunidades e riscos para que sejam traçados planos e projetos contendo ações de Inovação para que a empresa esteja sempre antenada e direcionada.

Óleo Lubel, lançado em 2016.

O Óleo Lubel, lançado em 2016, foi o primeiro produto não bateria comercializado de forma ampla pela Moura em sua rede de distribuição e foi fruto de ideias originadas de visitas de benchmarking, do processo de planejamento estratégico que apontou a existência de uma oportunidade e do desenvolvimento de um projeto que envolveu diversas pessoas e áreas da empresa, consultores e parceiros para que se tornasse uma realidade. Hoje o Óleo Lubel está presente em todo o Brasil e já é mais um sucesso na história da Moura.

A Acumuladores Moura é reconhecida internacionalmente como líder de mercado. Grande parte dessa liderança é proveniente de produtos e serviços inovadores. Na sua visão, quais as principais características de uma organização inovadora? Como trabalhar para se manter no mercado como tal?

Resposta:

Uma organização inovadora tem como características a humildade de saber que sempre podemos aprender e fazer melhor, estar aberta a novas ideias por parte dos seus funcionários, investir em Pesquisa e Desenvolvimento, estabelecer parcerias duradouras, ter paixão pela excelência e pela qualidade e acima de tudo trabalhar muito.

A Inovação é um dos valores da Moura e com isso colocamos em prática todas as características mencionadas acima como muito afinco e paixão, acredito que essa é a fórmula para se que nossa empresa se mantenha e se consolide cada vez mais no mercado como uma empresa líder e inovadora.

Quando uma grande organização inova, provavelmente, oportunidades de negócios são criadas para pequenas e médias empresas. Quanto da inovação da Moura, cria ou criou, oportunidades de negócios para pequenas e médias empresas? Como essas empresas podem se preparar para aproveitar essas oportunidades? Existe interlocução com o ecossistema de startups, por exemplo? Caso não, isso está nos planos?

Resposta:

A Moura possui muitos fornecedores e parceiros de diversos tamanhos, desde empresas multinacionais até a fornecedores locais de Belo Jardim, onde se localizam nossas principais atividades fabris. Já tivemos contatos com startups, muitas vezes em eventos ou através de contatos intermediados por empresas ou profissionais com relação com a Moura e já tivemos suas soluções testadas e incorporadas às nossas operações. Para inovar, a Moura precisa de parceiros e muitas vezes empresas pequenas e médias têm mais agilidade e flexibilidade para nos atender. As provocações que a Moura faz para estas empresas apresentarem soluções com certeza estimula a Inovação.

No cenário de Belo Jardim especificamente, realizamos um trabalho forte com a nossa cadeia de fornecedores, de forma a auxiliá-los na sustentabilidade dos seus negócios. O PDF – Projeto de Desenvolvimento de Fornecedores – é um grande case de sucesso. Realizado em parceria com o Sebrae, envolveu 43 fornecedores locais que receberam consultoria durante um ano nos mais diversos âmbitos do negócio: gestão, controle financeiro, planejamento, entre outros temas. O resultado foi extremamente satisfatório tendo, inclusive, fornecedores mais estruturados e outros que conseguiram expandir sua atuação na própria cidade de Belo Jardim e para cidades circunvizinhas.

Sabemos que a inovação é fruto de muita transpiração, disciplina e um pouco de inspiração. Como funciona o processo de inovação da Moura? Qual a metodologia utilizada?

Resposta:

O processo de inovação da Moura não é algo simples de descrever e nem é executado em um único formato. Inclui desde ideais advindas de processos de melhorias contínuas no chão de fábrica até a projetos de P&D com parcerias internacionais, os quais são liderados pelo Instituto Tecnológico Edson Mororó Moura – ITEMM que tem sede própria em Belo Jardim, com laboratórios com os equipamentos mais avançados no setor de acumuladores elétricos e pesquisadores de gabarito nacional e internacional.

Em linhas gerais, somente uma pequena parcela dos investimentos feitos em inovação trazem retorno à organização. Na Moura, como vocês medem o retorno dos investimentos feitos em inovação? Como atingir o equilíbrio entre investimento e expectativas de retorno de curto, médio e longo prazo?

Resposta:

Antes de mais nada, temos a crença que inovar é fundamental para o futuro da empresa. Mas é claro que a Inovação tem de ser direcionada e na Moura, os projetos de P&D estão diretamente associados aos objetivos estratégicos da empresa, havendo um comitê que define os projetos prioritários para receber os recursos e que monitora o andamento e os resultados parciais e finais dos projetos.

A aproximação entre o mundo off-line e o mundo on-line é cada vez maior. Muitos especialistas chegam a dizer que nos dias atuais não existe mais separação. Na sua visão, como levar uma organização construída sobre um modelo de mercado tradicional para uma era de e-commerce, redes sociais, compartilhamento, internet das coisas etc.?

Resposta:

A digitalização das empresas e dos negócios é um caminho sem volta e que vai mudar drasticamente a realidade atual do mercado e das organizações. Sendo assim, só resta às empresas tradicionais compreenderem isso e buscarem acelerar ao máximo sua introdução no mundo digital. Primeiramente tem de se priorizar o tema, alocar recursos e iniciar a jornada. A mudança cultural é também um dos grandes desafios nesta trilha. Contratar consultores e profissionais já com a cultura digital é fundamental neste processo, pois dificilmente as empresas terão sucesso com e-commerce, redes sociais, internet das coisas, entre outros, pensando e agindo da mesma maneira que fizeram no passado.

Moura Fácil, solução inovadora para o cliente pedir sua bateria com maior comodidade e personalização.

Buscando sempre encontrar as melhores soluções para os consumidores e fortalecer o relacionamento com nossas revendas, lançamos um serviço inovador e diferenciado em nosso mercado: o Moura Fácil. É uma plataforma digital, onde o cliente pode acessar o site www.mourafacil.com.br via celular, tablete ou computadores e pedir a sua bateria com maior comodidade e personalização. A entrega, que inclui a instalação, é feita em até 50 minutos. A facilidade, lançada este ano, está disponível nas cidades do Recife, João Pessoa, Porto Alegre, Goiânia, Campinas, Salvador, Florianópolis e Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza, São Paulo e São José dos Campos.

Por fim, considerando que o público-alvo do Augment é formado por empreendedores e executivos que atuam em negócios de alto impacto, startups e pequenos e médios negócios vocacionados ao alto desempenho, qual sua mensagem de incentivo para nossos leitores?

Resposta:

A Inovação que a Digitalização está trazendo para o mundo é algo sem precedentes na história e vocês são parte integrante deste movimento, podendo contribuir e influenciar decisivamente no futuro das organizações e das pessoas. Então mergulhem cada vez mais fundo nessa jornada e contribuam para que o nosso planeta seja mais eficiente, sustentável e com oportunidades para todos.